Esse é um espaço que tenho para escrever o que penso, o que sinto. Fazer críticas sobre a sociedade, o mundo que vivemos, as atitudes e julgamentos das pessoas.

É sempre bom ver o que os outros pensam, cada um tem seu ponto de vista, e esse é o meu. Espero que gostem, pois o que faço é com muito carinho.

Deixem seus comentários!

Quem conta as histórias?

Minha foto
Uma pessoa que adora escrever e usa a escrita como um desabafo sobre seus sentimentos e críticas que muitas vezes tem dificuldade de expor em seu dia-a-dia. Estudante de Pedagogia da Universidade de Brasília. (ingridraina.dirgni@gmail.com)

Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.

Clarice Lispector

quinta-feira, 31 de março de 2011

Bom demais pra ser verdade... Parte III

No dia seguinte, quando acabou a aula, fui correndo para o shopping. Não sabia se ele realmente viria, pois não tinha o visto na escola.

Fiquei na entrada, pois não tínhamos marcado nenhum lugar e nem tínhamos trocado telefone. ¬¬

Quando ele chegou, comecei a me tremer de felicidade e nervosismo, parecia que eu nunca tinha saído com outros garotos. Ele era especial.

Abri um sorriso enorme e estava louca para abraçá-lo, mas ele passou direto. Dessa vez, ele olhou para trás e piscou. Interpretei aquilo como um convite para segui-lo.

-Por que está me seguindo?

Ele falou sorrindo para mim. Minha resposta foi somente uma risadinha sem graça.

-Onde estamos indo?

-Estacionamento.

Quando ele disse “em segredo”, era segredo para o mundo inteiro. Absolutamente ninguém poderia saber que estávamos juntos.

Chegamos ao estacionamento e sentamos em uma escada. Ele encostou-se à parede e ficou me olhando. Foi muito estranho. Não tínhamos nada o que falar um para o outro, pois nunca conversamos.

-Fala alguma coisa. Alguma pergunta.

-Hum, deixa eu pensar...

-Só não vem perguntar se eu te amo.

-Por quê?

-Porque se eu não te amasse, eu não estaria aqui com você. *-*

Pronto. Bastou ouvir isso, pra eu começar a me tremer mais ainda.

-Ai, eu estou tremendo demais...

-É, eu causo isso nas garotas. ; )

Ficamos um bom tempo no estacionamento, abraçados e nos beijando. Infelizmente estava ficando tarde e tínhamos que voltar para a realidade.

-Está ficando tarde, é melhor irmos.

-Te levo em casa.

Então fomos para minha casa. Quando chegamos na esquina...

-Sua mãe está em casa? Queria conhecê-la...

-Está sim, mas acho melhor não.

-Tudo bem.

Fui dar um beijinho de despedida e ele virou o rosto. Quase chorei naquela hora. Encostei minha cabeça no ombro dele e cochichei:

-Me beija, por favor!

-Alguém pode nos ver.

-Por favor.

Ele me deu um selinho super rápido e depois se despediu, sem nem um abraço. Tive que descer a rua sozinha, pois ele não queria que nos vissem juntos.

Comecei com as minhas conclusões. Ele tinha vergonha de mim. ele tinha vergonha de estar ao meu lado. Era a única explicação. A desculpa dele foi muito forçada e sem lógica. Claro que todas as garotas da escola queriam estar no meu lugar agora, mas elas seriam capazes de inventar histórias e ainda virem me contar?

...
Ingrid Raina

Decidi colocar duas músicas que tem um pouco a ver com a história.. Espero que estejam gostando:


quarta-feira, 30 de março de 2011

Bom demais pra ser verdade... Parte II



-Desculpa, eu estraguei o clima...

-Eu que me adiantei.

Ele falava sorrindo como se eu não tivesse feito algo errado. Ele parecia mais bobo do que eu. Isso me irritava, pois ele era perfeito demais para mim, o que ele queria?

-E então... Qual sua resposta?

-Depois disso, acho que é um sim.

Eu esperava outro beijo, tipo uma comemoração, mas ele fechou a cara. Ou ele não esperava um sim ou se irritou com alguma coisa.

-O que eu fiz? Ain, desculpa. O que foi?

-Nada, você não fez nada. Eu só estava pensando... Temos que manter nosso namoro em segredo.

Sempre existe um “mas” na história...

-Por quê?

-Porque...  Não quero que outras garotas venham em você para inventar histórias.

-Que tipo de histórias?

-Sempre inventam histórias de que eu tô traindo, essas coisas.

-Por mim tudo bem. – Estando com você...

Demorou, mas consegui o que eu queria. Ele veio, todo fofo, e me deu um beijo.

No dia seguinte, fui para escola toda feliz. Estava louca pra vê-lo e contar tudo para as minhas amigas.

Procurei o meu amor e quando eu o encontrei fui dar um oi:

-Oie Felipe!

Ele passou direto! Parecia que nunca tinha falado comigo antes. Meu queixo foi no chão e voltou de tão surpresa que fiquei. Como assim? Ele pede para namorar um dia antes e no outro já não lembra mais nem de mim?

Fiquei ali um tempo, na esperança de o ver voltar ou pelo menos olhar pra trás. Nada. Nem um olhar. Não dei conta daquilo, quase desabei.

Fui para aula de inglês. Talvez ali ele falasse comigo, como nos outros dias. Sentei no lugar de sempre e minha cadeira do lado vazia. E assim permaneceu a aula inteira. Ele não foi à aula. O que esse menino tem na cabeça? Está me evitando agora ou é drama meu?

Intervalo. Nem fui atrás dele, mas era uma missão impossível não esbarrar com aquele anjo. Afinal, ele era popular.

-Ai garota, olha por onde anda.

Eu arregalei os olhos não acreditando da maneira que ele falou comigo.

-Acho que eu sou cega mesmo... Ou talvez seja porque você é um nada.

Falei com cara de nojo, os amigos dele ficaram olhando para a reação dele. Mas novamente ele nada fez.

-Nooossaaa! Olha só quem esbarrou em você amiga!

-Um idiota cego.

Cego por não me ver, cego por esbarrar em mim, cego por não enxergar meus defeitos e ter me beijado.

-E você, burra, responde ele daquele jeito!

Eu burra por ter dito sim, burra por respondê-lo, burra por gostar dele e beijá-lo.

-É, eu sou muito burra mesmo.

O meu dia foi péssimo e quando cheguei em casa foi um alívio. Entrei no meu quarto, troquei minha roupa e fui para o computador. Mais uma má escolha no dia.

Oie minha linda.

¬¬

O que foi?

Você ainda pergunta?

Desculpa por hoje, mas como eu disse, temos que manter em segredo.

E você não pode nem me dar um “oi”? Ou pelo menos falar direito comigo?

É, tenho que mudar isso. Desculpa... Vamos sair amanhã? Shopping, depois da aula...

Claro. Vou adorar.

...
Ingrid Raina



Bom demais pra ser verdade... Parte I




Na vida sempre encontramos um alguém que nos decepcionam ou nos magoam, mas também tem aqueles que nos fazem feliz.

Minha história é simples e óbvia. Tudo começa quando se conhece um garoto e o nome dele era Felipe. Todo início é bom, aquela besteira de pessoinha apaixonada e mimimi.

Ele era um garoto alto, não muito bonito, mas tinha uma beleza interna por ser engraçado, inteligente e romântico (pelo menos nas primeiras semanas), tinha o cabelo negro e os olhos cor de mel. Eu era uma nada perto dele, simplesmente ele era o popular do colégio e eu uma qualquer invisível.

Volta às aulas, curiosidade imensa pra saber minha turma e tal. Minha surpresa, ele na turma de inglês! Foi um sonho. Uma turma pequena, pois nem todo mundo queria fazer inglês, então eu fiquei mais próxima dele do que imaginava e foi maravilhoso.

Engraçado que, quando estamos apaixonados, pensamos que a pessoa também está. E essa era a minha ilusão: eu pensava que ele estava olhando pra mim toda hora, mas claro que não, né, o que ele estava observando em mim? A minha esquisitice? Só pode.

Mas com os dias se passando, eu fui percebendo que realmente ele estava cada vez mais próximo. Pedia ajuda, sentava do lado, perguntava se eu tinha entendido, pedia material emprestado, coisinhas bestas, mas que me deixavam parecendo uma idiota de felicidade.

Então chegou um dia que eu não estava agüentando aquilo. Se ele estivesse afim de mim mesmo, ele viria e falaria, pois pra um garoto como ele era fácil receber um não, assim como era mais fácil ainda ouvir um sim. Decidi me afastar dele, não queria ficar mais iludida do que já estava e me magoar no final.

Mas ele não desistia! Ele queria algo, eu só não sabia o que. Talvez ajuda, pois eu era a expert da turma, ele só queria tirar nota boa no boletim. Talvez queria zoar da minha cara, típico de garotos babacas como ele.

-Oi, Vitória, eu... Queria saber... Se você já tem dupla pro trabalho?

-Não. Se quiser pode fazer comigo...

Eu sei! Eu estou exageradamente apaixonada por ele e simplesmente não sei falar não. Ele aceitou fazer o trabalho comigo, na minha casa. “Eu não quero mais nada com ele, nada, nada, nadinha” era o que dizia na minha mente, mas no coração falava outra coisa.

-Tem namorado, Vi?

Quem ele acha que eu sou? Namorado é coisa pra gente legal e bonita, eu só sou uma nerd. ¬¬

-Não tenho. E você?

Claro que ele ia rir da minha cara e falar que tinha, foi o que eu pensei...

-Solteiríssimo. Você quer um namorado?

Fiquei um pouco surpresa e confesso que a minha vontade foi de falar: só se for você. Mas falei:

-Então, Felipe, acho que estamos aqui para estudar.

-Eu sei, só fiz uma perguntar pra quebrar o clima sério.

Aqueles olhos encantadores e a voz com um tom meio sem graça era irresistível, eu não tinha que ter cortado a conversa. Me senti uma completa idiota.

-Claro que quero um namorado. Toda garota quer, isso não é novidade, nem mistério.

-Que tal eu?

Sim!!!

-Não sei, por que quer namorar comigo?

-Ah, você é inteligente, meiga e bonita... Gosto de você.

Eu já estava abrindo a boca pra falar “deixa eu pensar” e ele me roubou um beijo. Eu, inocente com tudo aquilo, interrompi me afastando. Fiquei olhando para ele com uma cara de vergonha. Por que eu sempre estrago esses momentos?

...
Ingrid Raina

segunda-feira, 28 de março de 2011

Ela: Quando vou conseguir acabar com tudo isso?




Ele: Oi, queria falar comigo?
Ela: Sim, acho que você sabe sobre o que é...
Ele: Fê, não começa com isso!
Ela: Eu só quero dar um ponto final nisso tudo, você sabe que eu não sou forte o bastante.

Triste quando sofremos por quem não nos amam... Mais triste ainda é insistir em acreditar que tudo, uma hora, pode ficar bem...

Ele: Então por que não deixa acontecer? Se não é forte o suficiente, se entrega.
Ela: Pra que? Só pra você conseguir o que quer? E depois?
Ele: Eu quero você.
Ela: Não, não quer. Se quisesse, me trataria melhor.

Cansamos de ser tratadas como opção. Queremos ser prioridade! Quero alguém que se importe e que realmente me queira.

Ele: Eu não te trato bem?
Ela: Não viemos falar sobre isso. Se você me trata bem ou não, é problema meu, pois isso, em maneira alguma, te afeta.
Ele: Claro que afeta, se você vai me deixar...

A dor da perda é bem maior quando ainda sentimos algo pela aquela pessoa.

Ela: Lucas... Eu só queria que você entendesse que não dá mais... Eu cansei de tentar fingir que está tudo bem. Nada é pra sempre e o nosso tempo já acabou, concorda?
Ele: Você não sente mais nada? Agora você que está sendo egoísta, só está pensando em você! Fê, não faz isso comigo.

Isso é o que queremos, um dia, ouvir dos garotos... Um pedido de desculpa, uma frase de carinho, um “eu te amo” verdadeiro ou simplesmente “não faz isso comigo”, pois na maioria das vezes, somos só nós, garotas, que nos humilhamos para eles.

Ela: Sabia que temos que dar valor no que temos? E eu não tô me sentindo valorizada... Eu só queria que você prestasse atenção em mim, fizesse coisas mínimas e bestas, mas que no final sempre vai ter o seu valor e vai fazer falta.

Às vezes o simples faz muita diferença, como agora... Não adianta tentarmos exagerar nas coisas, pois quase sempre, o extraordinário é forçado. O simples é espontâneo.

Ele: Fernanda, eu queria que você me perdoasse. Te peço mais uma chance, a última, prometo!
Ela: Essa vai ser a última de tantas outras. Quando você vai aprender que eu não vou passar minha vida inteira atrás de você! Eu quero ser feliz e você não me ajuda.
Ele: ...
Ela: Não tenho mais nada pra dizer...

Sempre rola aqueles olhares e no fim ele sempre vem e me rouba um beijo. Não importa o que eu fale ou faça, ele sempre vai me fazer esquecer de tudo o que sofri por ele e sempre vou continuar o amando...

Ingrid Raina

 

sexta-feira, 25 de março de 2011

Você existe?




Eu quero inventar uma pessoa. Um melhor amigo ideal. Pra ele ser perfeito ele tem que me ouvir, não se importar com as minhas besteiras, não ficar com raiva quando eu estiver nervosa, não estressar quando eu tiver um problema, não chorar quando eu chorar, apenas sorrir e me motivar a ser feliz.

Ele não tem que ter beleza física, apenas tem que ser inteligente para me ajudar, bom nas palavras para me consolar, tem que ser educado e me respeitar, tem que ser alegre para me animar, tem que ser inspirador pra me motivar.

Levar a sério e acreditar que, pra mim, só vai existir ele e que nunca irei abandoná-lo e espero que ele faça o mesmo e cumpra todas as promessas que fez para mim, até mesmo as que incluem o “pra sempre”.

Falar eu te amo quando eu precisar ouvir alguém, me abraçar quando me sentir sozinha, me sacudir quando eu estiver muito idiota, me bater quando eu estiver delirando, gritar comigo quando eu estiver chata.

Avisar que meu cabelo está bagunçado, que meu dente está sujo, que me faça calar a boca quando não for a hora de conversar.

Quero que me diga quando estiver com raiva e o motivo, pois se eu não souber em que te magoei, não tem como corrigir meu erro. Quero que me diga o porquê de estar triste, mesmo que não tenha como eu te ajudar, eu quero que você divida a sua dor comigo, assim como eu quero que você me ajude a aliviar a minha.

Só quero que você seja meu amigo em todas as horas, pois não há nada que eu mais quero do que alguém que eu possa desabafar e confiar sempre.

Infelizmente esse amigo não existe, pois amigo é amigo. Meu amigo não me pertence, eu é que pertenço a ele. Eu é que preciso dele e não ele de mim. E é por isso que acabo me magoando e me decepcionando com as pessoas. Entregar-me demais, ser verdadeira demais, demonstrar o meu amor demais, nem sempre é bom, pois nem sempre aquela pessoa sente o mesmo por mim...

E eu só queria que você existisse pra me fazer feliz...

Ingrid Raina

 

quinta-feira, 24 de março de 2011

Três é demais




Ter um melhor amigo. Ter dois melhores amigos. Ter muitos melhores amigos. Nessa fase de escola, é comum termos muitos amigos que se dizem ser nossos “bests”, mas a verdade é que, na maioria das vezes, eles não vão estar com você quando precisarmos.

Ter amigos é ótimo, mas é complicado manter uma amizade. Sempre tem aquele medo de perder quando esse amigo é especial demais. Então acabamos ultrapassando os limites, como no ciúme. Ter ciúmes de amigos é natural, se você ama, você protege; se você protege você cuida; se você ama, você não quer perdê-lo.

E quando você tem uma amiga que não gosta da sua outra amiga? Elas se odeiam! E você lá entre as duas. Você não pode simplesmente escolher uma delas, pois, se você está com elas, é porque elas são especiais. E quando não há razão para esse ódio? Uma só não vai com a cara da outra, pronto. Nada de errado com isso. Pra elas. Mas eu é que sofro com isso, pois eu não posso deixar uma pra ficar com a outra.

O que leva uma pessoa odiar a outra, nem olhar na cara dela, mesmo que nunca tenha falado com ela? Infantil. Que coisa mais típico de criança, Belém Belém, nunca mais tô de bem, até o ano que vem...

Por que isso tudo? Por que o ser humano adora odiar o outro sem motivos? Por que tanta besteira? Pra que tanta raiva? Mais diálogo! Mais amor! Mais respeito! Mais maturidade! Por favor, gente!

“Só quem sofre é quem está assistindo vocês brigarem. Por que insistem em cometer o mesmo erro? Conversem como pessoas civilizadas e, se mesmo assim, não gostarem uma da outra tudo bem, pelo menos tentaram, mas não me deixem confusa e me tirem dessa situação!”

Ingrid Raina

 

Curiosidade matou o gato!



Se você é uma Ingrid da vida, você provavelmente não agüenta ver alguém conversando que já quer saber o que é, se tem alguém rindo quer rir também, se alguém conta um segredo quase morre de tanta curiosidade. Bem-vindos ao clube, você não está só.

A curiosidade é a coisa mais normal, quem é que nunca ficou curioso com algo? Não minta! Realmente não dá pra ficar só observando de longe, queremos saber cada detalhe.

Ser curioso é legal? Sim e não. Sim, porque, por exemplo, na escola, você pode fazer várias perguntas, assim aprende mais. Não, porque podemos acabar invadindo a privacidade das pessoas.

Os curiosos são pessoas legais? A maioria delas, quando ultrapassar os limites, acabam sendo chatas, pois ninguém gosta de ter alguém no seu pé perguntando sobre tuudo, muito menos quando não queremos contar.

Ser curioso, então, é bom, mas em momentos certos e com um limite... Seja curioso, mas respeite o espaço e a vida do outro.

Ingrid Raina

 

quarta-feira, 23 de março de 2011

O ônibus


Que título estranho, não? O que irei falar nesse post não tem nada haver com trânsito, e sim com a vida...

Meu maravilhoso colégio novo... Estou aprendendo tantas coisas e adorando os debates em sala de aula.

Um dia, normal e animado, minha turma foi chamada para o auditório para assistir ao Aulão sobre o projeto Linha do Tempo, onde devemos relacionar fatos que ocorreram no mundo com a minha vida, desde quando eu nasci até hoje.

Começaram com uma música legal, “Sobre o tempo”, Pato Fu. Antiga. Depois vieram os professores. O professor Rogério de sociologia (não o meu :( ) pegou o microfone e começou a falar uma coisa que me chamou bastante atenção:

“Na vida nós podemos ser passageiros ou motoristas de ônibus”. (foi mais ou menos isso)

Aí vem as perguntas: o que é ser passageiro? O que é ser motorista?

Passageiro, falando no sentido real, é entrar no tal ônibus e ele te levará para o lugar que ele está indo. Agora, ser motorista é você assumir o volante e ir para onde você quer.

Acho que já deu pra entender, mas vamos à conclusão...

Eu, como passageiro, estou deixando a vida me levar, tendo um objetivo, mas não me importando com o que está passando em minha volta.

Eu como motorista, tenho que observar onde estou indo, sem me desviar do meu maior objetivo, mas nessa situação o controle total da direção que estou seguindo é minha.

Ou seja, temos que assumir o controle, ser o motorista das nossas vidas e olhar o caminho que estamos seguindo, assim conseguiremos aprender com nossos erros e não deixar a vida passar em vão!

Ingrid Raina


terça-feira, 22 de março de 2011

Um anjo chamado amigo


Pra que querer mais alguém se eu tenho você? Pouco tempo que eu te conheço e já é tão especial quanto os outros que conheço há mais tempo. Amigo, você salvou minha vida, você me mostrou que um dia a gente encontra um alguém que me ame da mesma forma que eu amo. Você é esse alguém. Você é a pessoa que eu mais confio e que mais preciso. O meu medo de te perder é tão grande que às vezes exagero.

Desculpa por minhas idiotices, mas uma amizade não é verdadeira quando se esconde os defeitos, pois ninguém é perfeito, um alguém só se torna perfeito quando o outro aceita os nossos defeitos.

Obrigada por me mostrar que eu tenho você pra qualquer momento. Obrigada por suas palavras de amigo, palavras que me fazem chorar quando você me diz o quanto eu sou especial pra você. Obrigada também por toda a raiva que me fez passar, obrigada por me perdoar quando eu piso na bola ou quando estou nervosa. Obrigada até mesmo pelas tiradas, que, apesar de me deixar muito nervosa e me sentir uma chata inútil, me fazem rir de tanto ódio. Obrigada pelas brigas, elas me mostram o quanto você é especial e o quanto eu te quero.

Valeu por existir e espero que você cumpra com suas palavras, pois não é legal prometer e não cumprir!

Saiba que eu também vou estar sempre com você. Mesmo quando estiver com muita raiva ou muito chateada com você.

Obrigada por ser meu amigo!

Ingrid Raina


Só não ver quem não quer

Vivemos num mundo de ilusões. Vivemos num mundo com pessoas iludidas. Vivemos num mundo com pessoas que nos ilude. Sabemos disso. Estamos sempre desmascarando as pessoas. E quando essa pessoa é muito especial? A ilusão é descoberta e a verdade vem como um murro.

Gostamos de nos iludir. Os únicos culpados da história somos nós, por saber que a perfeição e a felicidade eterna praticamente não existem, mas insistimos em conviver com a mentira. Nada melhor do que fantasiar uma verdade triste.

Essa mania de querer tudo a nosso favor é a pior coisa que as pessoas fazem. Adoramos uma mentira para o nosso bem, mas quando descobrimos a verdade sempre nos magoamos. A ilusão é casada com o sofrimento.

Ninguém concorda com uma verdade quando ela não é o que você quer. Por isso que as pessoas mentem, elas simplesmente querem nos agradar para nós ficarmos do lado delas. Fingir que ama, fingir ser quem não é, enganar pra não ser julgado. Coisa do ser humano.

Esqueça que eu te amo se você não me amar
Esqueça que eu sou triste enquanto você é feliz
Esqueça que eu existo se for mentir
Não me agrade com uma ilusão quando a verdade for dura
Não diga a verdade quando for pra me ver sofrer
Somente não fale
O silêncio é melhor do que falar o que não deve
Deixe que eu mesma crie a minha ilusão
Não preciso de ninguém pra me fazer de idiota
Pois já sou idiota por sofrer por você e suas mentiras.

Ingrid Raina

 

segunda-feira, 21 de março de 2011

Não finja que nada aconteceu



Há quanto tempo fiquei esperando por isso? Nem eu tenho idéia! Só sei que foi tempo bastante para sofrer e correr atrás de você. Você me magoou muito, me iludiu, me desprezou. Eu me humilhei, me desafiei, me machuquei. E, apesar de tudo, o “nós” nunca existiu e por mim não irá existir.

Você com o seu poder de comando e toda sua autoridade sobre minha pobre pessoa. Tudo que você pedia eu fazia. Meu mundo girava em torno do seu. Eu só sabia te querer e não via mais garoto nenhum, porque você era e é a única perfeição pra mim. Mas, infelizmente, tudo que é bom acaba. Apenas um dia. Um dia de sol, passeando e do nada! Você e eu. Eu nunca quis isso. Confesso que um pouco, mas acho que seria melhor a gente nunca ter se encontrado.

Me disseram que depois disso tudo ia melhorar, iríamos ficar mais unidos. Até que no começo eu concordei, mas de repente tudo volta ao normal e até pior. Mas eu continuo com minhas esperanças que nunca irei de perder. Não no sentido de amor de menino e menina, e sim um amor de amizade eterna. O pra sempre que um dia vai acabar, mas que dure o tempo suficiente para que eu possa enjoar de você, que eu me canse de falar e te ver, pois assim será mais fácil te esquecer.

Garotos nasceram para nos iludir. Um dia você me chama pra conversar, aí temos um longo papo, que foi absolutamente encantador. No outro você vira e fala que não sente mais nada? Pare de criancice! Ou sim ou não, eu não estou aqui para fazer papel de idiota, muito menos ser seu brinquedo. Não sou uma boneca, apesar de mamãe me chamar assim às vezes.

Então decida o que você quer. Ou eu sou sua e você é meu, ou não estamos acertados. A negociação tem que ser justa para ambos os lados e não só pra você!

Ingrid Raina


domingo, 20 de março de 2011

Viver de novo...



Pra que temos vontade de voltar no tempo para reviver aquele momento perfeito? E por que não temos vontade de reviver os momentos de tristeza? Nunca parou pra pensar que, o melhor momento, foi aquele que te fez chorar, que te fez cair e levantar novamente, aquele que te fez sofrer ou que te mostrou o que não deve mais fazer?

Se nossas vidas só tivessem momentos bons, o que iríamos aprender com isso? Não moramos em um paraíso e nem em contos de fadas. Parar para refletir o que os momentos não bons nos trouxeram é importante às vezes. Não adianta falar que aprendemos com nossos erros se não os reconhecemos e nem tentamos corrigir.

Para tudo tem um oposto! Então se estamos felizes, temos que ficar tristes uma hora. Faz parte... Infelizmente.

Temos que nos orgulhar de nossos erros, pois eles, quando aceitos e corrigidos, nos fazem melhor e até mesmo superiores por reconhecer que não somos perfeitos.

Eu sou uma pessoa que erro, aceito, levando e corrijo! Seja uma também, não tente a perfeição, pois ela não existe...

Ingrid Raina

O tudo e você


Engraçado que, quando se ama, só pensamos em uma pessoa. Não importa o que fizermos, ele está sempre em nossas mentes.

Engraçado que, quando você está apaixonada, você imita aquela pessoa. Copia os passos, fala da mesma forma, começa a escutar as mesmas músicas e simplesmente ele não sai da sua cabeça.

Por que quando estamos amando tudo nos leva a mesma coisa? Eu posso ver qualquer coisinha besta que já penso nele!

Por que garotos não se importam com o que sentimos? Por que sempre somos as melosas apaixonadas e eles não são os grosseiros? Por que insistimos em correr atrás daquele que não se importa?

E por que teimamos sempre nas mesmas perguntas e nunca obtemos respostas? Chega! Olha pra mim, please! Eu só quero encontrar o meu garoto...

Pare de fingir ser quem você não é, eu sei, muito bem, que você não é o certo... Bem que eu queria que fosse, mas não. Querer não é poder.

E se alguém aí tiver respostas, por favor, repassar, ok? Por que tá difícil encontrar! 

Ingrid Raina

 

sábado, 19 de março de 2011

Eu te tenho! Eu te quero!


Oh, por que me sinto tão só se você está sempre do meu lado? Por que eu tento buscar outras coisas se tudo o que eu mais preciso já está comigo? Por que eu procuro outras pessoas, sendo que, quem mais me ama, já está comigo?


As pessoas nunca vêem quem as amam, têm mania de procurar e amar quem não a ama! Masoquismo talvez? Nunca vi espécie que mais gosta de sofrer como o ser humano! Egoísmo talvez? Eu quero do bom e do melhor somente para mim! Revolta? Vou atrás de quem não me enche e que não ligue para mim!

Chegaaa! Quem mais nos ama nessa vida? Sua mãe? Seu pai? Sua melhor amiga? Não! Não sou de comentar religião, mas quem mais me ama é o meu Deus, que está sempre comigo. Não estou aqui para discutir religião...

O problema é que estou cansada de ver as pessoas se desviando do caminho certo e indo para o lugar errado! O lugar da morte, da dor, do sofrimento, das doenças, das drogas, enfim, um caminho nada bom.

Por que simplesmente temos vergonha das pessoas? Por que queremos ser superiores a todos? Por que vivemos para o poder? Por que queremos tudo?

Ser humano, uma espécie que só olha para si mesmo, que pensa individualmente. Só se interessa em aumentar as suas riquezas, popularidade e conforto. Preguiça, inveja, gula, luxúria... Você não se encaixa nesse conceito? Parabéns! E o que você faz para ser diferente? Esconde a verdade? Não é legal mentir... Está falando a verdade? Então prove! Prove e mude quem está ao seu redor... Diga com quem tu andas e direi quem tu és.

Não adianta nada eu ser a certa no meio dos errados, apesar de eu não cair em tentação e não me deixar levar com as influências, as pessoas julgam a maioria. Então se tem um certo no meio de dez, eu vou ser julgada igualmente aos errados. O correto seria eu tentar mudar a forma da minha comunidade pensar.

Ingrid Raina

Visitem também o blog do meu amigo, lá vocês podem aprofundar um pouco mais sobre o assunto.

Revolta?



“Você diz que ama a chuva, mas você abre seu guarda-chuva quando chove.
Você diz que ama o sol, mas você procura um ponto de sombra quando o sol brilha.
Você diz que ama o vento, mas você fecha as janelas quando o vento sopra.
É por isso que eu tenho medo. Você também diz que me ama…”

William Shakespeare

E é com essa frase que eu começo o post de hoje. Então, acho que eu não preciso falar mais nada, a frase fala por ela mesma, não é?

Por que dizer “eu te amo” quando não se ama? Magoar as pessoas com uma ilusão terrível como essa! Só por eu gosta de você, você não precisa gostar de mim, muito menos me “amar”.

As pessoas poderiam dizer mais a verdade, parar com essa de enganar os outros. Pra que dizer uma pessoa o que não sente de verdade? Pra que fazer aquela pessoa pensar que você realmente a ama, mas que na verdade só quer fazê-la de brinquedo? Ninguém gosta de ser usado...

Vamos fazer um acordo: somente dizer a verdade, não iludir as pessoas e principalmente não usá-las.

Não tente fazer uma pessoa feliz com uma mentira... Uma verdade às vezes dói menos do que a ilusão de que aquilo existiu algum dia.

Ingrid Raina

segunda-feira, 14 de março de 2011

Vídeo: Eu te ofendi? Não senti nada!

Esse vídeo mostra o que o título diz. Às vezes uma pequena ação, uma pequena escolha ou mudança de planos pode gerar muitas conseqüências, às vezes nos afetam diretamente, às vezes não e outras nem nos afetam. Então vejam esse vídeo e imagine a bola de papel como um problema, você simplesmete a joga e não olha pra onde, e causa vários problemas à sua volta...

Orgulho de ser aluna


Hoje eu tive um aulão... Acordei 6:40 para ir à escola e tive que faltar o meu inglês... Reclamei? Só um pouquinho, né. Quem não reclama quando tem que acordar cedo justo em uma segunda-feira?!

Cheguei à escola, com meu caderninho, atividades feitas, mostrei pra professora... Tudo ok. Hora da tal aula.

“Sou aluno CEMTN, entrei em uma fria” palavras do professor Fernando. Uma escola que já de cara está sendo complicado com tanto trabalho! Não tenho tempo pra nada (não tenho, mas sempre arrumo). Adoro desafios e essa nova escola vai explorar o meu melhor. Estou adorando meus professores e as aulas deles são incríveis²!

---Aaah que feliiiiz kkkkk

Esse é só mais um post fora dos assuntos do blog, só uma pequena homenagem e uma demonstração de como estou amando a minha escola e meus professores.

Professores CEMTN, só por esse pouquinho que estou com vocês, já estou enlouquecendo de tão inteligentes que vocês são, e que estão mostrando que realmente se importam com nós alunos.

Mas o que eu realmente fiquei, vamos dizer, emocionada, foi com o que a professora Léia, de português, falou no aulão. Tudo porque eu cheguei nela, sexta-feira, e falei que as aulas dela são demais e me inspiram, não sei como, mas ela me faz querer escrever. E hoje ela comentou sobre isso que eu falei para ela, disse que é bom saber que, não só eu, mas muitos outros alunos estão gostando das aulas dela e estão entendendo o que ela quer passar (não nessas palavras, claro, mas foi mais ou menos assim, eu estava muito surpresa, pois parecia que ela não tinha prestado atenção em mim na sexta).

O que fizemos no aulão: tivemos não só uma mistura de aula de sociologia com o professor Rogério e português com a Léia, mas também uma aula sobre a vida. Uma aula sobre a socialização, sobre nossos costumes, ética e moral, preconceitos e outras coisinhas sobre a sociedade.

Passaram um vídeo muito interessante para nós, um cara que realmente sabe o que é superação!



domingo, 13 de março de 2011

Eu te ofendi? Não senti nada!


Realmente quando xingamos ou batemos em alguém não sentimos nada, mas nunca nos colocamos no lugar da vítima.

Muitas pessoas acham divertido humilhar as pessoas, seja nas ruas, na escola, na internet ou na própria casa. Divertido pra você...

Todos nós já fomos vítimas de brincadeiras de mau gosto, chamadas de bullying. Você gostou? Quer brincar de novo? Claro que não! Ninguém gosta de se sentir feio ou inútil. Não tem coisa pior do que você estar alegre e no seu canto e vim um idiota e te colocar pra baixo.

Agora pensa, em que lugar você gostaria de estar? No ofensor ou no do ofendido? Provavelmente você quer estar no lugar do ofensor, pois essa brincadeira só tem graça para ele.

Pessoas que sofrem bullying, preconceito ou qualquer tipo de exclusão social, podem ter problemas psicológicos, ela vai se tornar uma pessoa desconfiada, tímida, não vai ter vontade de sair, pode abandonar os estudos, ela pode querer se suicidar, pode querer se vingar daquele garoto que o ofendia na escola, ele vai se sentir sempre pra baixo. Você simplesmente vai acabar com a vida dessa pessoa!

Pense antes de fazer qualquer brincadeira com o colega de sala, uma pessoa na rua. Às vezes a pessoa já está pra baixo e, só de te ouvir falar que ela é um nerd, você já deu um motivo pra aquela pessoa se matar.

Ninguém nasce sabendo de tudo e todo ser humano tem algo para ensinar para o outro, aprenda com seu colega, não o exclua, não o maltrate. Simplesmente estenda a mão que ninguém estendeu para ele e salve uma vida.

Ingrid Raina


sábado, 12 de março de 2011

Quem quer brincar põe o dedo aqui!

Eu quero brincar de ser feliz
Quero sair correndo e gritar sem me olharem estranho
Quero poder rir alto e ninguém falar pra eu me controlar
Falar o que penso e não me acharem doida




Quero brincar de pular de séculos em séculos
Voltar no tempo e jogar gravetos para dinossauros
Quero voltar para ver Mamonas cantando as músicas loucas deles
Quero brincar com os meus filhos do futuro
Quero voltar e conhecer o maravilhoso Juscelino Kubitscheck


Quero brincar na chuva e me esconder do sol
Quero poder entrar nos livros de contos
Conhecer Cinderela e impedi que Branca De Neve coma a maçã da bruxa
Quero ter um príncipe pra mim também e ser feliz para sempre
Quero conhecer o Mickey e falar para o Pato Donald não ficar com ciúmes


Queria poder brincar de viver
Esquecer um pouco a coisa séria e ficar sem preocupações
Poderia ler pensamentos, voar e congelar as coisas
Ou eu poderia ser só uma Menina Super Poderosa e combater a cidade de Townsville
Poderia conhecer a Lilo e brincar com o lindo do Stitch
Pegar o coelhinho da Mônica junto com o Cebolinha e o Cascão
Brincar de fantasia
Eu seria a bruxa, você a princesa
Ele o Superman e o outro o Batman
Poderíamos dançar
E depois sair pelas ruas pedindo doces como no Halloween americano

Mas sair na rua cantando ciranda e cai cai balão
Porque não há nada melhor do que ser feliz sem ser julgado

Eu tenho 15 anos...
Isso me impede de brincar de Barbie
De querer ganhar um ursinho de presente?
De querer uma festa com brigadeiro e não uma boate
De querer balinha no lugar de drogas
De querer ficar com minha família do que ir para festas noturnas com amigos
De querer passar um dia com meus primos no lugar de ir para o cinema com amigos
De querer brincar de paintball ao invés de pegar uma arma de verdade?

Me chama de careta e infantil?
Obrigada por me elogiar!

Nesse mundo de hoje, eu prefiro ser “careta e infantil
 Do que ser uma jovem sem futuro
Do que me importar com modinhas
Do que me encaixar na sociedade
Quero ser eu mesma!
Não quero que me julgue por respeitar minha família e dar valor na educação que eles me deram!

Tenho orgulho de ser “infantil”, “careta”
Pois sendo isso, eu tenho minha vida
Eu tenho minha felicidade
E não preciso imitar e nem seguir ninguém
Obrigada Deus e família por eu ser assim!

 Ingrid Raina

Próximo! Pare!



Aulas de português. Aulas de filosofia. Aulas de sociologia. Minha escola está sendo o meu lugar de inspiração (haha). Por quê? Professores bons e que nos mostram tantos lados de ver a vida, mostram idéias novas, realmente é incrível a forma de esses mestres pensarem.

Ontem na aula de português, estávamos conversando sobre ir na onda dos outros. “Y soy rebelde, cuando no sigo a los demás” foi com esse trecho da música Rebelde que a professora falou que às vezes temos que ser rebeldes e não seguir os errados.

Se todo mundo faz, por que eu não posso fazer? Essa pergunta que tanto nos perturba. Direitos iguais! Mas devemos nos fazer essa pergunta somente para coisas boas e certas. Se ele fuma por que eu não fumo? Se ele mata por que eu não mato? Se ele foge da escola por que eu não fujo? Porque você é diferente! Porque você sabe que isso não te leva a nada. Não queira seguir os errados!

Outra coisa que a professora Léia disse, que me chamou bastante atenção, foi: na vida, estamos enfileirados e está fila está andando, todos estamos indo para o mesmo caminho do primeiro.

                  *   *   *   *   *   *   *   *   *
                  9   8   7   6   5   4   3   2   1

Eu estou no “4”, o primeiro continua indo e os que estão na minha frente estão com ele. Eu parei. Cansei de seguir o primeiro, simplesmente porque quero fazer diferente e não quero continuar no errado.

Observem que, se eu paro, todos os demais que estão atrás de mim param também. E começa uma nova fila...

Enfim, espero que tenham entendido o que eu quis passar e que vocês parem a fila!

Ingrid Raina

 

quarta-feira, 9 de março de 2011

Inocência, come back!

Muitas vezes paro pra pensar e vejo que no meu mundo adolescente nada faz sentido. Fico observando meus primos, e percebo como eles estão com nenhuma preocupação com o que está acontecendo e não tem problemas para resolver. Eu sou a neta mais velha e quase todos os meus primos têm no máximo 12, ou seja, eles ainda estão no melhor momento da vida.

Quando somos crianças não precisamos fazer escolhas dolorosas. Não existe rancor e mágoa. Não existe a falsidade, crianças não mentem direito.

Antigamente as pessoas me olhavam e me achavam fofa e bonitinha. Agora, se estou andando na rua só, elas me olham e pensam que eu sou uma rebelde e que, alguma hora, eu vou tirar uma arma da minha mochila e assaltar ela. Calma gente! Tudo bem que os dias de hoje nos mostram essa realidade, mas também não são todos e eu, com certeza, faço parte da pequena porcentagem de adolescentes que fazem a diferença.

A infância é a idade da inocência, mas essa inocência poderia durar pra sempre, mas, infelizmente, hoje em dia temos que ser espertos com tudo e com todos, porque ninguém é o que diz ser. Mesmo assim, ser esperto não é ter que acabar com a inocência, você pode ser esperto a seu favor e não contra os outros. Realmente devemos abrir o olho, mas não irei usar essa minha esperteza para ser superior aos outros.

Enfim, não devemos acabar com a melhor fase de nossas vidas. Devemos crescer sim, mas não ser adultos idiotas e esquecer o melhor que as crianças têm para nos ensinar.

Ingrid Raina


terça-feira, 8 de março de 2011

Filas...


Fila é algo que enfrentamos quase que diariamente. Elas foram feitas para uma organização da sociedade, isso é verdade, mas ela precisa participar da vida de todos nós? Sim, precisa. Caso contrário, haveria uma catástrofe - sim, essa é a palavra certa - na sociedade e a falta de tempo, que já é bem comum em nossas vidas, aumentaria.
   
A fila é algo tão complicado que criaram a teoria das filas. Que é algo tão chato de se descrever que não pretendo colocar neste post.

Mas, voltando ao assunto, quero que você imagine: você está numa fila para pagar uma conta e está esperando várias horas e, simplesmente, chega um malandrinho que passa em sua frente e, alguns minutos depois, sai com satisfação por ter resolvido o que queria. Sim, eu iria matá-lo (no mínimo mentalmente). Agora imagine: você está esperando, não numa fila, pra pagar algo, mas junto com você está uma multidão de pessoas querendo fazer a mesma coisa. Como todos sairiam dali com satisfação se não houvesse uma ordem certa? A resposta é simples, não iriam sair satisfeitos.

Por essas razões, temos que agradecer por existirem coisas que façam a nossa sociedade, em geral, ser no mínimo conhecedora de organização coletiva.


“Organização é algo que deve existir e ser respeitada ou nós nunca seremos totalmente livres” reflita nesta frase criada por mim.

Alex Bardot

Papo sério


Um assunto conhecido por todos, mas que as pessoas insistem em continuar cometendo o erro...

Eu adoro ler, principalmente livros que relatam fatos reais e críticos. Há muito tempo li um livro chamado A Vida Por Um Fio, que conta a história de um garoto que se interna em uma clínica de readaptação contra as drogas. Vale muito à pena ler, pois, apesar de ser antigo, mostra o nosso problema nos dias de hoje.

 Agora estou lendo A Pior Prisão Do Mundo. Nele, o autor explica que a pior prisão está dentro de nós, no nosso psicológico, pois não tem nada pior do que depender de algo e simplesmente ser prisioneiro da emoção.

Não estou aqui para repetir o que todos já disseram, todos nós sabemos o que são as drogas, a dependência que elas nos causam, o que é certo, o que é errado. Todos estamos conscientes de tudo e isso e, como sempre, nos damos de ignorantes e persistimos no erro.

O que leva a pessoa a usar drogas? Hoje em dia temos o que chamamos de influência. A pessoa está em um grupo e se ele não usa drogas, ele é discriminado, por isso a vontade de ser popular ou se incluir em um grupo fala mais alto do que ser um babaca certinho. Além disso, tem os problemas com família, pais usuários, o prazer instantâneo que ela causa, temos também as drogas como remédio, tais como para emagrecer, acalmar, para dormir. Mas a maioria dos jovens buscam as drogas simplesmente para fugir da realidade, com as drogas alucinógenas, eles “saem” do seu corpo e viajam.

 Tipos de drogas. Elas podem ser depressoras, elas deixam o mecanismo do nosso cérebro mais lento. As alucinógenas, elas despersonalizam as pessoas em maior ou menor grau. Estimulantes, aumenta a atividade pulmonar e aumenta a percepção ficando os demais sentidos ativados.

Então, não vamos brincar com as nossas vidas! Elas valem mais a pena do que as drogas. Não vamos deixar uma besteira dessa acabar com a gente!

 Ingrid Raina

        Diga Não Às Drogas!!

         Valorize A Vida!

segunda-feira, 7 de março de 2011

Estou proibida


Eu estou proibida de ter alguém do meu lado, alguém que realmente quer o meu bem, alguém que realmente se importa comigo e com o que eu sou e não com o que eu tenho para oferecer.

Eu estou proibida de receber um abraço verdadeiro e ouvir um “eu te amo” quando a pessoa realmente me amar e sem mistérios ou falsidade.

Minha vida está proibida de achar um alguém que faça mudar minha forma de ver o mundo, a forma de julgar as pessoas. Um alguém que me faça ver que algo vale à pena.

Estou proibida de ter um alguém e chamá-lo de meu, pois hoje em dia a traição é mais comum do que o amor e todo mundo é de todo mundo.

Me proibiram de ser feliz com alguém do meu lado, me disseram que a felicidade se encontra sozinha. Nada melhor que fazer você mesma.

Proibiram-me de olhar para alguém e ver as qualidades, me mostraram somente os defeitos e isso me fez esquecê-lo.

Me proibiram de achar o meu alguém, porque o alguém é de ninguém e se é de ninguém não pode ser meu.

Estou proibida de sonhar com o alguém, pois eu quero a perfeição e, no mundo, nenhum ser humano é perfeito, então é impossível buscar alguém que nunca existiu.

Eu estou proibida porque eu quero, porque eu cansei e simplesmente me proibi de procurar algo que nunca vou encontrar e porque ninguém nesse mundo é humano o suficiente para pensar e amar o próximo.

Ingrid Raina

Leia Também